segunda-feira, 2 de setembro de 2013

O samba do Nego fraco

Numa tarde de sol
lá no canavial.
Era Deus, o açoite, o trabalho.
Quase nada era bom.
Mas tinha sinhazinha
lá pelos dezesseis.
Ela vinha num passo rainha
e olhava pro Nêgo feito o Nêgo era rei.
Numa tarde de sol
Flor sozinha chegou.
Era quase um pecado pro Nêgo,
feito o Nêgo roubou.
Ela pôde ir,
mas ela ficou.
E se tem uma coisa, deus sabe é que o Nêgo é fraco.
Ela pôde ir
mas ela ficou.
Nêgo é fraco, seu Dotô.
Nêgo é fraco, seu Dotô.

Nenhum comentário:

Postar um comentário